Vamos falar de lombar



A dor nas costas é um problema comum na vida das pessoas --de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), de cada dez indivíduos, oito têm ou terão o desconforto ao longo da vida.... E de acordo com estudos feito em Havard, A dor lombar é a segunda principal causa de incapacidade aqui nos Estados Unidos e de acordo com Estadão SP a primeira no Brasil de atestados médicos e incapacidade.

Quase todos os dias que vejo pacientes que se não tem, ja tiveram esse desconforto. Alguns resolveram com a ajuda certa, exercício, fisioterapia etc.. Outros, eu preciso entrar em suas emoões, crenças e medos pois o corpo fala por meio dos órgãos.

Na minha avaliação diária existem 3 tipos de dores lombares:

Dor mecanica, Dor orgânica , Dor Somática

Colocamo-los no diagnóstico de “dor nas costas mecânica”, que inclui espasmos musculares, tensão nos ligamentos e artrite. ou seja tudo que pode provocar estruturas que a sustentam como musculos, rigidez, temperatura etc..

A dor orgânica já é o comprometimento que altera a funcionalidade anatomica e fisiologica da lombar em torno de (3% a 4%) será devido a causas potencialmente mais graves, como hérnia de disco.

E a dor somática é aquela que os pacientes com dificuldade em expressãr emoções reagem limitando seus corpos somatizando tudo aquilo que não puderam fazer, agir ou falar por meio da incapacidade lombar.

Quando alguém com dor lombar aguda entra no consultório, meu trabalho principal é realizar uma avaliação fisioterapêutica, mas também energética. Identificar a possível origem e como minimizar ou mesmo curar tal desconforto.

Analisando uma gama de tratamentos para dor lombar

O American College of Physicians (ACP), o segundo maior grupo de médicos dos EUA, atualizou recentemente as diretrizes para o tratamento da dor lombar. Seus pesquisadores médicos vasculharam centenas de estudos publicados sobre tratamentos não intervencionistas de dor nas costas e analisaram os dados. Os tratamentos incluíram medicamentos como acetaminofeno, antiinflamatórios não-esteroidais (AINEs) como ibuprofeno e naproxeno), opioides (como oxicodona), relaxantes musculares, benzodiazepínicos (como lorazepam e diazepam), antidepressivos (como fluoxetina ou nortriptilina), anti- medicamentos para as crises (como o Neurontin) e corticosteróides sistêmicos (como a prednisona). A análise também incluiu estudos sobre tratamentos não medicamentosos, incluindo acupuntura, redução do estresse baseado em mindfulness, tai chi, yoga,

Isso é um monte de terapias!

Os pesquisadores estavam interessados ​​em estudos que mediam a eficácia (geralmente medida como alívio da dor e funcionamento físico), bem como os danos de todas essas terapias. E sabe qual a maior descoberta:

As drogas não fazem parte das recomendações mais recentes para o tratamento da dor nas costas "mecânica"

Então por que no Brasil o maior número de medicamento vendido é para LOMBOCIATALGIA? de acordo com Interfarma ( OS dez medicamentos mais vendidos no Brasil são:

1) Dorflex (relaxante muscular) – R$ 470,7 milhões.

2) Xarelto (anticoagulante) – R$ 286,8 milhões.

3) Selozok (redução da pressão arterial) –

R$ 230,3 milhões.4) Neosaldina (analgésico) – R$ 222,4 milhões.

5) Torsilax (relaxante muscular) – R$ 215,3 milhões.

6) Aradois (anti-hipertensivo) – R$ 212,2 milhões.

7) Glifage XR (antidiabético) – R$ 201,8 milhões 8) Addera D3 (suplemento de vitamina D) – R$ 195 milhões 9) Anthelios (protetor solar) – R$ 187,7 milhões 10) Buscopan composto (reduz sintomas de cólicas menstruais) – R$ 181,7 milhões

Fonte: Correio da Bahia


Observe que juntando os medicamentos da lista para analgesia e relaxante muscular teremos o número 1 em vendas.

Agora, de acordo com a pesquisa Chou R, Deyo R, J Friedly, et al. Tratamentos Não-invasivos para Dor Lombar [Internet] . Rockville (MD): Agência de Pesquisa e Qualidade em Assistência Médica (EUA), 2016.a descoberta surpreendente foi: para dor lombar aguda e subaguda, os melhores e mais seguros tratamentos não são medicamentos.

A maioria dos pacientes com lombalgia aguda ou subaguda melhora com o tempo, independentemente do tratamento, e pode evitar tratamentos e testes potencialmente perigosos e dispendiosos.

A terapia de primeira linha deve incluir terapia não medicamentosa, como calor superficial, massagem, acupuntura ou manipulação espinhal. Quando a terapia não medicamentosa falhar, considere os AINEs ou os relaxantes musculares esqueléticos.


Não se iluda:

Mesmo os analgésicos sem receita médica não estão livres de riscos

Medicamentos como o ibuprofeno e o naproxeno podem ser úteis, mas podem causar inflamação e úlceras estomacais, assim como possíveis sangramentos e até danos nos rins, especialmente em idosos. Os relaxantes musculares podem ser sedativos e podem interagir com outros medicamentos comuns. Os benzodiazepínicos e os opiáceos não só podem causar sedação, tornando difícil pensar com clareza e funcionar normalmente, como também são viciantes. Basicamente, para dor lombar aguda e subaguda, os riscos desses medicamentos superam os benefícios. Outros medicamentos, como paracetamol, esteróides, antidepressivos e medicamentos anticonvulsivos, não foram muito úteis para a dor lombar aguda e subaguda.

E a dor somatica?

A dor SOMÁTICA se refere a emoção não liberada... onde, o corpo fala... pedindo para cuidar também dos sentimentos.

Cada tipo de dor pode estar relacionada a um estado emocional específico em nossa mente.

8 visualizações

61 33450167 

uroginbsb@gmail.com

Segunda - Sexta

08:00 - 11:00

Sábado- apenas SEXOLOGIA E COACHING

08:00 - 12:00

  • facebook-square
  • rss-square
  • google-plus-square